Category Archives: Degraus Layout Sidebar Left

Bomba de água submersível – Entenda as principais vantagens de utilizá-la bomba de água submersível

Se o seu negócio faz parte do ramo das siderúrgicas e construção civil é bem provável que você tenha ouvido falar das bombas submersíveis, porém se você ainda não está usando uma para benefício da sua empresa porque não conhece as vantagens esse artigo foi pensado para você. Saiba quais são as principais vantagens da bomba de água submersível.

Entenda um pouco mais sobre o que são e os benefícios de utilizar uma bomba de água submersível no dia a dia da sua empresa.

O que é uma bomba de água submersível

As bombas de água submersível são equipamentos fabricados para bombear água sem dejetos/lama enquanto está completamente submerso na água. Entretanto fiquem atentos, o equipamento funciona submerso mas não pode ser deixado esquecido dentro da água. Depois de usado precisa ser retirado e limpo.

bomba de água submersível

foto bomba de água submersível

São equipamentos ideais para tratamento em grandes reservatórios de água, projetos de escoamento, entre outras atividades da construção civil e industrial , principalmente por conta do seu motor elétrico.

O de elétrico o motor das bombas é fabricado em aço inox e conta com um sistema em que o ar é selado, por isso os líquidos não entram em contato com ele, impedindo os curtos circuitos. O bombeamento da água é realizado pela pressão que o equipamento exerce no fundo do local. As bombas podem ser monofásicas ou trifásicas.

Quais as vantagens de utilizar a bomba de água submersível

Agora que você sabe um pouco mais sobre o que são as bombas submersíveis, conheça um pouco mais quais são as principais vantagens de utilizar uma bomba de água submersível no dia a dia das atividades da sua empresa.

As bombas de água submersíveis são altamente procuradas pelos ramos da indústria de siderurgia e construção civil por trabalharem completamente submersas em diversos líquidos. Isso traz praticidade para uma empresa que por exemplo faz o serviço de aprofundar um poço artesiano.

Uma das principais vantagens da bomba é sua alta capacidade de trabalho enquanto submersa em grandes profundidades, esse modelo de bomba não perde nenhum pouco sua potência mesmo quando a pressão externa aumenta por conta de quão fundo é o poço/reservatório.

Mas não só em grandes profundidades que as bombas performam em alta qualidade, a bomba submersível aguenta altas temperaturas, suportando um calor de até 150º, as bombas trabalham com facilidade em águas quentes.

São equipamentos ideais para o rebaixamento de lençol freático, a captação flutuante de água bruta, estações de tratamento de água, na construção civil e indústria, também podem ser utilizadas em:

Tipos de bomba de água submersível

Como já dissemos, a bomba de água submersível é um equipamento movido a energia elétrica, monofásica ou trifásica e com diferentes capacidades de vazão. Conheça os modelos disponíveis na Loxam Degraus:

Por que alugar uma bomba de água submersível?

Tenho uma empresa e preciso de um equipamento, devo comprar? A resposta é não! Comprar um equipamento significa que você deve arcar com todos os custos dele, desde manutenções preventivas até as manutenções corretivas.

bomba de água submersível da degraus

foto bomba de água submersível da degraus

Agora pense, sua empresa tem um equipamento como a bomba de água submersível, e ela quebra, todo o custo para arrumar o equipamento é seu, e se for necessário comprar uma nova, isso também sai do orçamento da sua empresa.

Entretanto, se existisse uma forma de economizar, com o aluguel de equipamentos para indústria. Investindo no aluguel da bomba de água submersível você só precisa se preocupar em utilizar o equipamento.

Alugando ao invés de comprar, permite que você não tenha nenhum gasto além do de ter o equipamento pelos dias necessários do serviço. A Degraus é especialista em aluguel de equipamentos, garantimos a total qualidade da bomba submersível disponível para aluguel.

Todos os equipamentos são revisados e com a manutenção 100% em dia, você só precisa utilizar a bomba porque do resto nós cuidamos.

Bomba de água submersível é na Loxam Degraus

Agora você já sabe mais sobre bomba de água submersível, aproveite e conheça todos os produtos da Loxam Degraus e surpreenda-se com equipamentos de qualidade e com excelente custo-benefício para diferentes trabalhos.

Desde 2015 fazemos parte do Grupo Loxam, maior grupo de locação de equipamentos da Europa, 4º maior do mundo, com mais de 1000 filiais, distribuídas em 30 países. Muito mais tradição e experiência internacional à serviço de nossos clientes e parceiros.

E aí, o que achou do nosso artigo sobre bomba de água submersível? Não se esqueça de contar com a Loxam Degraus para alugar inúmeras máquinas e equipamentos. Além disso, continue acompanhando nosso blog para conferir mais conteúdo desse segmento.

Até o próximo artigo!

https://degraus.com.br/bomba-de-agua-submersivel-entenda-as-principais-vantagens-de-utiliza-la/ Como fazer concreto na betoneira manual-de-como-fazer-concreto-na-betoneira

A betoneira é um dos equipamentos fundamentais de uma obra, pois é a responsável por misturar materiais como argamassa, cimento e concreto para diversos fins, deixando a massa uniforme e pronta para uso durante a construção. Esse equipamento substitui o trabalho manual e consegue otimizar o tempo, gerar economia e mais produtividade. Portanto, se você quer de uma vez por todas acertar na hora de fazer a massa, aprenda agora como fazer concreto na betoneira. Acompanhe esse conteúdo!

O que é e como usar uma betoneira

Antes de entender como fazer concreto na betoneira é importante conhecer o equipamento como um todo. Além disso, saber como manuseá-lo pode evitar acidentes. Então vamos lá!

 

A betoneira é um grande cilindro redondo, utensílio básico na rotina da construção civil. Apesar de menos comum, também é usada para misturar grandes quantidades de alimentos para animais e em indústrias de plásticos.

 

Existem 4 tipos de betoneira no mercado, são elas: semi-fixa, fixa, móvel e automática. A sua grande vantagem em vista do processo manual é a otimização de tempo, pois o mesmo processo sem a máquina demora muito mais.

 

Ela é composta de um tambor rotativo responsável por realizar um giro constante, preparando a massa. Contém pás de mistura que ficam dentro do tambor ajudando na mistura, braço reforçado, volante e outros elementos que compõem a sua estrutura completa.

Agora, atenção: é comum haver acidentes durante o processo por conta de descargas elétricas. Para evitar isso, aterre a betoneira e certifique-se de que os cabos estão protegidos.

E por último, antes de chegarmos no passo a passo de como fazer concreto na betoneira, não dispense o uso de EPI’s. Os equipamentos de proteção individual são fundamentais para garantir a segurança de quem fará manuseio da máquina. Entre os equipamentos estão os óculos, botas, luvas, máscaras, protetores auditivos e roupa adequada.

Aprenda como fazer concreto na betoneira em 5 passos

Siga estas instruções em nosso vídeo e você terá um grande rendimento do material e garantia de um concreto de qualidade. Acompanhe!

 

 

1. Tudo começa com a localização da betoneira. Coloque ela de preferência em um local plano, próximo a onde deseja colocar o concreto, de modo que possa fazer a massa de concreto em um ângulo de 45°.  Vale lembrar também a importância do uso de EPIs.

 

2. Com a betoneira em funcionamento, coloque os materiais na ordem abaixo:

Com uma lata de 18 litros, essa quantidade de materiais irá produzir aproximadamente 0,07 m³ de concreto ou 70 litros de concreto.

 

3. Para adicionar os materiais, siga a seguinte ordem: primeiro as pedras, depois a água, cimento e por fim a areia. Deixe o equipamento girando para misturar tudo por alguns minutos.

 

4. Incline a betoneira e despeje o concreto no local indicado ou em um carrinho de mão até o local desejado. Com auxílio de um rastelo espalhe o material sobre a superfície.

 

5. Por fim, caso seja necessário, adicione mais brita a mistura que sobrar na betoneira para dar consistência ao produto que ainda será usado.

 

Tabela de traço de concreto

Saber a correta proporção permite um trabalho exemplar e com ótimos resultados. Para isso, leva-se em consideração o traço:

1:a:p e 1:a”:p”

a= peso do agregado miúdo
p= peso do agregado graúdo
a”= volume do miúdo
p”= volume do graúdo
*Equivalente a cada 1 kg de cimento.

Encontre o modelo de betoneira que você deseja e alugue com a gente

A locação de betoneiras permite utilizar as máquinas de qualidade com melhor custo-benefício. É possível utilizá-las com diferentes litros. No entanto, a mais comum é de 400 litros. Veja as melhores opções para a produção de concreto, acessando nosso site:
Betoneira Trifásica 400 litros

Betoneira de 600 litros

Betoneira Monofásica de 400 litros

 

Há muitas vantagens de optar pela locação, a primeira de todas, sem dúvida é a garantia da qualidade do produto e bom estado dos fios. Deseja alugar uma Betoneira? Solicite um orçamento com a gente e encontre ótimas formas de pagamento.

https://degraus.com.br/como-fazer-concreto-na-betoneira/ Manutenção de Fachada: por onde começar manutencao-de-fachada-por-onde-comecar

Basta dar uma pequena volta pela cidade para encontrar edifícios que precisam urgente de manutenção externa. A maioria dos síndicos e proprietários adiam esta tarefa por diversas razões. Mas, realizar esse processo vai além de questões estéticas, pois pode beneficiar a todos os envolvidos financeiramente, desde os moradores até os investidores do imóvel. Saiba agora tudo sobre manutenção de fachada e fique em dia com esta tarefa!

4 etapas: como realizar a manutenção de fachada

Você provavelmente já se deparou com um edifício que nitidamente precisa de uma reforma. Em São Paulo, por exemplo, a lei municipal 10.518/88 exige que edificações realizem limpeza periódica das fachadas dos prédios, no mínimo a cada 5 anos. Entretanto, a falta de fiscalização faz com que os responsáveis pelo imóvel negligenciem esta tarefa. O resultado é a falta de manutenção predial e até riscos futuros maiores.

Se atentar aos cuidados com a fachada evidencia o zelo da empresa além de valorizar o imóvel. Afinal, seja um prédio residencial ou comercial, ninguém quer estar associado a um local mal cuidado.

Por isso, seja você um síndico, morador ou proprietário, entenda a partir de agora como começa o processo de manutenção de fachada e programe a próxima limpeza o quanto antes.

1. Consulte um profissional

A primeira tarefa é simples. Conversando com um técnico da construção civil você saberá sobre pontos críticos no edifício, onde precisa de lavagem e até os locais que ainda podem esperar uma próxima manutenção. Essa primeira inspeção visual ajudará a saber os materiais a serem comprados e o período adequado até as próximas atividades.

2. Contrate uma equipe especializada

Algumas empresas já possuem sua equipe interna especializada em exercer essa função. No entanto, a maioria dos edifícios costumam terceirizar esse serviço, então procure por uma boa empresa de restauração de fachadas e consulte seus valores. Analise se compensa comprar os materiais a parte ou incluir esta função dentro do contrato com a prestadora do serviço.

3. Supervisione as atividades

Durante a manutenção avalie os processos e a qualidade do serviço. A grande maioria costuma exercer impecavelmente cada tarefa, mas é importante vistoriar para garantir o investimento. Durante o andamento, verifique se os técnicos usam todos os equipamentos de proteção, ferramentas e máquinas adequadas, como plataformas elevatórias e por fim, revise o resultado final.

4. Programe as próximas manutenções

Ainda que a manutenção fiscalizada seja a cada 5 anos, as vistorias devem ser periódicas, para garantir a boa estética do prédio. Para te ajudar a organizar o calendário de conservação, veja a periodicidade de cada tarefa abaixo.

A cada ano: relativo ao revestimento, verifique os elementos de decoração, para-raios, fios elétricos, vedações, calhas, integridade das frestas, chaminés, paredes, rejuntes, buracos e afins.

A cada três anos: relacionado a fachada, faça a lavagem de todos os elementos externos como mastiques e rejuntes. Analise a pintura, visto que a qualidade é variável devido às condições climáticas e outros fatores. Então, se necessário, refaça a pintura, reforme fissuras e verifique a presença de infiltrações.

A cada cinco anos: Verifique novamente todas as condições citadas acima a fim de garantir que as exigências das normas regulamentadoras sejam atendidas.

Em caso de necessidade de manutenção, seja qual for o período, procure uma empresa capacitada.

Importância da manutenção de fachada periódica

 

manutencao periodica de fachada

A conservação de um prédio proporciona diversas vantagens a todos os envolvidos com o edifício. Além de deixar esteticamente mais atraente, cuidar da fachada atraem novos clientes, fideliza os atuais, certifica a proteção da construção e pode até evidenciar problemas maiores.

Caso você seja um síndico e deseja sugerir aos demais moradores do prédio, uma boa medida para convencer a todos sobre o investimento é informá-los sobre a lei. Embora mal fiscalizada é preciso seguir e prevenir futuras multas. Outro bom argumento é a economia no bolso, já que cuidados preventivos custam bem menos que resolver problemas já estabelecidos.

Gostou deste conteúdo? Nossa equipe da Degraus está a todo vapor para te deixar bem informado sobre esse e outros temas. Acesse nosso site e descubra muito mais!

https://degraus.com.br/manutencao-de-fachada-por-onde-comecar/ Demolição: conheça as causas e tipos demolicao-conheca-causas-e-tipos

O ato de demolir não parece ser lá muito simples, não é? Isso porque o procedimento exige técnica e o manuseio correto dos equipamentos da obra, caso contrário, pode resultar em graves acidentes. Hoje você vai conhecer os diferentes métodos de demolição, causas, importância e muito mais!

Razões que causam uma demolição

Demolição significa retirar uma estrutura de um local para viabilizar novos trabalhos no mesmo espaço. Neste procedimento são tirados entulhos e outros resíduos para limpar o lugar. Somente assim é possível adequá-lo para novos fins.

Além desta razão, a demolição também é tida como uma medida de segurança, pois, quando uma estrutura apresenta riscos de desabamento, é com esse procedimento que se derruba uma construção de forma segura. Construções com muitos anos de utilização e que precisam de adaptações, reforço estrutural, alterações no projeto e até erros de projeto, também são causas de demolição.

A sua importância se deve a correção desses fatores e muitos outros, pois quando não corrigidos, ocasionam em edifícios desabados, desastres ambientais e riscos de vida.

Por causa disso, é preciso calcular como e onde quebrar para que não haja surpresas e acidentes, independente do tamanho da estrutura. Medidas que exigem serem feitas por profissionais da área. Como este serviço é utilizado para diversos fins é preciso identificar a melhor técnica a ser introduzida, a fim de obter êxito na atividade.

Tipos de demolição e finalidades

O método utilizado para demolir uma casa não é o mesmo usado para demolir uma empresa, por exemplo. Por isso, vamos entender os três tipos de demolição e onde se dão suas aplicações.

Demolição por implosão

Esta técnica consiste no uso de explosivos para destruir a base da estrutura. É usada para demolir edifícios, pontes e outras estruturas, principalmente em centros urbanos.

Demolição mecânica

Neste tipo de demolição são usados diferentes máquinas e equipamentos como guindastes, escavadeiras e miniescavadeira para auxiliar na derrubada completa ou parcial do local. Durante o procedimento são usadas pás e retroescavadeira para auxiliar na retirada do entulho. Assim como os demais procedimentos este exige mão de obra especializada.

Demolição manual

Em comparação com os outros tipos de demolição, a manual é a que mais leva tempo de conclusão e exige mão de obra. Neste procedimento são usadas ferramentas manuais e permite aos técnicos maior controle da atividade. Indicada para demolições de pequenos porte, e que não suportam o peso de grandes equipamentos, também é conhecida como demolição sustentável, porque permite reaproveitar partes de resíduos, quando em outras técnicas isso não seria possível, devido ao nível alto de destruição.

Demolição: um procedimento seguro

tipos de demolicao

Embora muitos ainda relacionam a demolição com desastres, feita de forma segura e bem planejada ela é uma técnica muito eficaz de resolver irregularidades em lugares.

Mas para isso, é preciso contar com empresas sérias do ramo da construção civil para exercer esta tarefa. A especialização e mão de obra qualificada são obrigatórias e darão garantia ao procedimento.

Agora se você busca equipamentos de qualidade para te auxiliar em um desses processos, conte com a gente da Degraus. Estamos presentes em 6 estados brasileiros ajudando grandes obras a serem concluídas com sucesso. Acesse nosso site e confira nosso catálogo completo de equipamentos de movimentação de terra para compra e aluguel.

https://degraus.com.br/demolicao-conheca-as-causas-e-tipos/ Conheça os tipos de serra e suas aplicações conheca-tipos-de-serras-e-suas-aplicacoes

Se você conhece um pouco sobre ferramentas deve saber que existem serras manuais e elétricas e que todas são usadas para diferentes fins. Na hora de escolher seu equipamento fique atento aos tipos de serra disponíveis, já que elas serão fundamentais para determinar o acabamento do produto e resultado final. Confira agora o leque de opções que você tem e escolha o modelo ideal!

Tipos de serras: Veja várias opções deste equipamento

Um marceneiro que se preze deve conhecer todos os tipos de serra a sua disposição. Até porque cada serra, seja ela manual ou elétrica — além do tipo de lâmina e o formato dos dentes, se diferenciam conforme cada utilização e são determinantes para definir o acabamento do produto final.

Veja os tipos de serra e suas características e aprenda onde usar cada uma delas!

Tipos de serras elétricas

As serras elétricas foram produzidas para otimizar nosso tempo, já que aceleram o trabalho manual. Oferecem um corte preciso e facilitam a rotina de muitas marcenarias.

Serra Mármore

A serra mármore, como o nome se refere, é destinada ao corte de azulejos, mármore, pisos, pedras, paredes, tijolos, entre outros. Possui discos menores e alta rotação, além do motor na frente da lâmina, que facilita o manuseio do equipamento. Alguns modelos de discos diamantados também permitem o corte de madeira com a serra mármore, o que a torna ainda mais versátil.

Serra Circular

Uma das serras mais versáteis desta coleção, a serra circular é usada para cortar vários materiais, tudo depende da lâmina em uso. Ela pode ser encontrada em 4 versões, sendo elas: manual, esquadrejadeira, de bancada e meia esquadria. O seu uso é indicado para todos os tipos de madeira, mármore, telhas e cerâmicas, além disso possui rotação baixa. Quando usada com lâminas de dentes largos, produz cortes grossos. Já a lâmina universal chega a cortar madeira maciça e derivados.

Serra tico-tico

Seu uso é indicado para materiais como madeira, metais, azulejos e plástico. Suas serras são pequenas, o que permite alcançar detalhes minuciosos. A versatilidade da serra tico-tico não para por aí, pois com ela é possível fazer cortes em até 45° em linha reta, curva, perpendiculares ou inclinadas.

Serra fita

A serra fita possui uma lâmina que consegue atingir profundidades maiores, por isso é muito requisitada para realizar cortes em materiais espessos — o que outros tipos de serra não conseguem. Como é ideal para fazer cortes em curvas, seu uso não é indicado para quem busca precisão.

Tipos de serras manuais

Tão utilizadas quanto as serras elétricas, as serras manuais são ferramentas muito usadas em marcenarias, mas não ficam de fora no uso doméstico, pois ajudam em reformas simples.

Serrote

A sua popularidade se deve ao fácil manuseio com certa habilidade para realizar cortes de troncos e toras. Possui uma lâmina de aço serrilhada e presa a um cabo de madeira ou plástico em uma de suas pontas. Ela é uma ferramenta portável e operável com uma mão.

Serrote de costas

O serrote de costas possui uma lâmina retangular com reforço de uma banda metálica. Durável e resistente, tem dentes finos e corta madeira folheada, molduras e perfis. O seu aço temperado é de 10mm de largura.

Serra de arco

Feita de arco metálico e dentes virados para baixo permite cortes e recortes arredondados em materiais como folheados e madeiras delicadas. A lâmina da serra de arco ou serra de recorte é desmontável e longa.

Serra universal

Muito encontrada em kit de marcenaria, a serra universal realiza cortes em materiais como plástico, metal e madeira.

Degraus: todos os tipos de serra se encontram aqui

Há uma infinidade de outros tipos de serra para ajudar nas mais diversas tarefas do dia a dia. Sejam em indústrias, obras, marcenarias ou em casa, a serra que você precisa está aqui na Degraus. Encontre preços acessíveis e alta qualidade entrando em contato com a gente.

Você pode comprar ou alugar essas ferramentas, tudo depende da sua necessidade. Acesse nosso site e veja mais opções e detalhes dos produtos!

https://degraus.com.br/conheca-os-tipos-de-serra-e-suas-aplicacoes/ Compressor para pintura: Descubra qual usar compressor-para-pintura-descubra-qual-usar

O compressor de ar é uma ferramenta muito versátil, sendo a sua técnica é similar a pintura feita com grafite. Por isso, é usado desde em pequenas demandas domésticas até serviços profissionais. Seu funcionamento por meio de movimentos mecânicos produz ar comprimido. Dessa forma, auxilia inúmeras ferramentas pneumáticas, como furadeiras, cortadores, pistolas e outros.

Por ser tão dinâmico sua utilidade é diversa, então se você busca um compressor para pintura, veja agora onde e como aproveitar cada modelo e aproveite toda sua eficiência.

Conheça cada compressor antes de comprar o seu

Caso você seja um artista iniciante, vale a pena conferir esse artigo para não comprar um compressor para pintura errado. Entre os fatores que devem ser analisados na hora da escolha, algumas características podem ser definitivas para definir o desempenho de sua atividade. Por isso veremos as principais agora!

Entenda as informações técnicas

Potência: Fator relacionado ao tipo de compressor escolhido, sua pressão máxima, o tamanho do reservatório de ar e o valor fornecido.

Vazão: Referente a capacidade em dar vazão ao ar, representada pelo PCM. Quanto maior for o PCM, maior será a capacidade em atender grandes demandas.

Reservatório: É no reservatório em formato de cilindro onde fica acumulado o ar comprimido. A capacidade do reservatório equivale ao tipo de compressor. Por exemplo, um compressor de ar elétrico de 20 PCM tem capacidade de comprimir até 150 litros. Enquanto que o compressor de 30 PCM comprime até 261 litros.

Os demais dados dizem respeito ao tipo de motorização, voltagem, peso da ferramenta, sua largura, altura entre outros.

Compressor de baixa pressão

Relativo ao compressor de cerca de 120 litros.

Este é o compressor para pintura ideal para quem busca uma ferramenta que atenda a serviços pequenos. Entre eles estão os serviços domésticos como calibrar pneus, pintar partes pequenas que necessitam de reparo, pintura de peças de artesanato e outras atividades similares. Essa ferramenta é leve, portátil, simples de usar, de pequeno porte e apresenta baixo nível de ruído.

No caso do uso profissional ele atende a demanda mais simples, por isso é indicado para quem faz serviços de envernização de móveis, pequenas pinturas em portões e até mesmo borracheiros e serralheiros.

Compressor de média pressão

Relativo ao compressor de cerca de 150 litros.

A sua eficiência atende a profissionais que prestam serviços maiores como pinturas em chácaras e sítios. Também são usados por empreendedores do ramo de oficinas para realizar a pinturas de carros, em borracharias e ateliês de pintura. Bem como em serviços simples na construção civil.

Esse compressor para pintura apresenta baixo índice de ruído e maior eficiência se comparado ao de baixa pressão.

Compressor de alta pressão

Relativo ao compressor de cerca de 150 litros.

Este tipo de compressor para pintura é de uso industrial, por isso atende a grandes demandas, possuindo alta eficiência. É muito utilizado em fábricas, grandes oficinas, mecânicas e serralherias de grande porte. Indústrias farmacêuticas, hospitais, moveleira e clínicas o utilizam também para outros fins, não somente para pintura.

Na Degraus temos o compressor que você precisa

Com o auxílio da pistola esse equipamento otimiza o tempo de serviço e torna o trabalho ainda mais profissional. Se você também deseja essa ferramenta, veja todos os nossos produtos clicando aqui!

https://degraus.com.br/compressor-para-pintura-descubra-qual-usar/ Aprenda como colocar cerâmica em pequenas reformas aprenda-como-colocar-ceramica-em-pequenas-reformas

O piso quebrou? Está precisando fazer uma reforma em sua casa e não quer contratar alguém para essa atividade? Então, esse conteúdo foi feito para você. Aprenda agora como colocar cerâmica e com algumas tarefas simples será possível ter um serviço profissional!

Como colocar cerâmica sozinho em 7 passos

Antes de tudo, é importante esclarecer que embora citamos sobre reforma, os passos a seguir servem perfeitamente para te ajudar a como assentar piso em ambientes maiores.

Agora, considere também o tipo de piso que pretende colocar. Dependendo do modelo da cerâmica, ele poderá usar menos ou mais água no processo. Para saber a medida ideal pergunte a um profissional ao comprar a argamassa.

O que você vai precisar

Nesta lista contém as ferramentas básicas para tornar seu processo eficiente e seguro:

Assim que você decidir sobre o piso e a argamassa mais indicada é hora de preparar o local:

1. Prepare o ambiente para aplicação

É importante que o piso do local esteja sem irregularidades, poças, umidade ou sujeiras. Todas essas condições podem prejudicar a aplicação da argamassa. Não é necessário molhar a cerâmica ou a deixar de molho de um dia para o outro.

2. Escolha por onde começar

Pode parecer bobo, mas não definir isso logo de início pode te dar trabalho no final. Verifique a paginação e o ponto inicial de instalação. Em locais com muitos recortes, como no banheiro, o indicado é começar pela porta. Assim, eles ficam para o final, onde estarão menos aparentes.

3. Prepare a argamassa

Em terceiro lugar, considerando que o local já tem contrapiso, coloque a argamassa em uma bacia e adicione água. Misture até formar uma massa homogênea e sem bolinhas. Lembre-se de não passar da quantidade ideal de água. Deixe a massa de molho por 15 minutos e a utilize em até 1h30.

4. Aplique a argamassa

Com auxílio do lado liso de uma desempenadeira, aplique a primeira leva de argamassa sobre a cerâmica e depois sobre o contrapiso. Em pisos com tamanho igual ou superior a 30 x 30 cm repita a ação novamente, formando uma dupla camada. Na sequência, use o lado com “dentes” da ferramenta para fazer linhas paralelas na massa.

Pegue uma peça e aplique sobre o contrapiso levemente. Use agora o martelo de borracha e dê leves batidas sobre o piso. Assim as linhas são amassadas ajudando em sua fixação. Repita essa ação nos demais pisos.

5. Coloque espaçador (opcional)

Nesta etapa, aplicar o espaçador pode te ajudar a ter mais controle dos espaços entre uma peça e outra. Tanto ele quanto o nivelador auxiliam no alinhamento dos pisos. Mas caso você já tenha certo conhecimento essa medida é dispensável.

6. Fazendo os recortes nas peças

Nos espaços que precisam de recortes, faça as medidas necessárias e corte as peças com ajuda de serra mármore, serra bloco de mesa ou turquesa. Se necessário, peça a ajuda de um profissional nesta fase. Volte ao passo 4 se necessário, pois a ação será a mesma.

7. Aplique o rejunte

Espere 72h, limpe o local e aplique o rejunte no ambiente com uma espátula. Pressione para baixo, contra os dois lados das peças até que preencha o espaço por completo. Ele deve ficar liso e uniforme. Espere até 1h e realize o acabamento final.

Pronto, simples, não é? Para fazer a limpeza total do ambiente aguarde até dois dias.

Essas dicas te ajudaram? Então, compartilhe com seus amigos e conte com a nossa equipe para te manter bem informado sempre! Para encontrar alguns dos produtos citados nesse artigo entre em nosso site. Até a próxima.

https://degraus.com.br/aprenda-como-colocar-ceramica-em-pequenas-reformas/ Conheça os benefícios das estruturas de madeira conheca-os-beneficios-das-estruturas-da-madeira

As civilizações mais antigas já utilizavam a madeira em suas construções. Ela é um material muito versátil para esses tipos de projeto e é usada em pontes, colunas, coberturas e de diversas outras formas. Seu uso reúne sofisticação e contemporaneidade, então conheça um pouco mais sobre sua matéria prima e entenda melhor seus prós e contras. Acompanhe este conteúdo!

Estruturas de madeira na construção: Usar ou não?

Com o passar do tempo, algumas dúvidas surgiram acerca do uso da madeira. Assim que o metal e outros materiais foram sendo utilizados nas construções, dúvidas percorreram em nosso meio. Logo se criou um receio em usar as estruturas de madeira.

Embora seja uma alternativa ecológica e flexível pelas possibilidades de trabalhos, é preciso tomar alguns cuidados. Para sua instalação é fundamental evitar o contato da matéria prima com o solo e impedir que fique exposta às intempéries.

Para ser usada em projetos onde estará sujeita às condições acima, entretanto, é importante incluir no planejamento proteções extras ao material. As espécies mais indicadas para o uso em construções são Ipê, Jatobá, Maçaranduba. Muito utilizadas, sobretudo, em estruturas de madeira.

Agora chegou a hora de te mostrar as verdades e mitos sobre esse material, veja:

Vantagens

Como um material feito a base de árvore pode contribuir positivamente a biodiversidade? Vamos te responder apresentando os tópicos abaixo.

A madeira é resistente ao corte, a flexão e em relação ao concreto apresenta a mesma resistência a compressão. Espécies como a Cumaru e Itaúba têm alta durabilidade mesmo em ambientes externos. Com os cuidados adequados, a madeira fica longe de riscos de apodrecimento e dura muitos anos.

A madeira é um produto encontrado na natureza, o que já apresenta grande vantagem. Comparado a produção de outros produtos industrializados, ela exige um consumo muito menor de energia como material de construção. Além disso, sendo extraída de forma consciente não compromete o meio ambiente. Ao ser descartada, não oferece perigo a natureza nem libera componentes químicos.

Uma obra a base de madeira é construída muito rapidamente. Fora que, seu material é de fácil manejo, o que possibilita ser produzida em peças de dimensões e tamanhos diferentes. Essa condição é essencial para acelerar um projeto que necessite de mudanças rápidas. Sem contar sobre a propriedade de receber ligações e emendas de forma simples.

Estudos já comprovaram que uma casa feita de madeira se comparada a uma casa fabricada por produtos sintéticos, proporciona maior sensação de conforto aos moradores. O ambiente fica leve, ecológico e trás benefícios a saúde.

Esse é um importante fator que auxilia a queda do uso de energia. Por possuir propriedade de isolante térmico, em alguns casos o uso de ar condicionado não é necessário. Do mesmo modo acontece com seu fator de antirruído. Por isso a madeira não só apresenta condições naturais de climatização como também de conforto contra barulho.

Cuidados que você deve ter

Por outro lado, as coberturas, paredes, janelas e estruturas de madeira precisam de alguns atenção especial, para que não percam seus desempenho.

O uso da madeira principalmente em locais externo a torna mais suscetível a desgastes. Por isso, procure não usar em ambientes úmidos, pois pode danificar o material. Para garantir ainda sua durabilidade, é preciso contar com tratamento adequados contra cupins e outros insetos.

É preciso ficar atento com o excesso de calor em ambientes com a presença de madeira. No mercado já existem produtos que retardam o efeito do fogo na madeira, entretanto, a melhor prevenção é a precaução.

Antes de qualquer coisa se certifique de usar madeira certificada e equipamentos adequados para esses fins, como a serra circular. Esta medida garante que o material será de qualidade, o que além de oferecer segurança as estruturas do local, também promove a sustentabilidade.

estruturas de madeira

Gostou deste conteúdo? Conte com a nossa equipe para te informar sobre diversos assuntos e sempre oferecer os melhores produtos para seus serviços de construção e reforma. Consulte em nosso site o que você precisa e solicite um orçamento. Estamos presentes em 6 estados do Brasil, sempre prontos para atender a sua demanda!

https://degraus.com.br/conheca-os-beneficios-das-estruturas-de-madeira/ O que é, principais tipos e como cortar porcelanato principais-tipos-e-como-cortar-porcelanato

O porcelanato é um dos pisos mais atraentes e nobres do mercado. Além de ser um material elegante, a sua resistência, tons e variedade de formatos ganham os consumidores. O seu aspecto agrega sofisticação a qualquer ambiente, mas é importante saber qual é o tipo ideal do produto para a sua casa e como cortar porcelanato. Do contrário, o desempenho do piso pode ser comprometido. Então, é isso que você verá agora, acompanhe!

Entenda o que é e conheça 4 modelos de porcelanato

Produzido a partir de um produto cerâmico, a sua composição é feita a base de um material prensado com pouca absorção de água. Entre as combinações de materiais estão a argila, caulins e o quartzo. Após o processo que passa por molde, prensa e secagem o efeito é um produto vitrificado. Ou seja, que obteve aparência de vidro.

Em virtude da ausência de poros, seu material absorve pouca água. Além disso, a sua superfície é de fácil limpeza e instalação. É preciso apenas nivelar o chão e cimentá-lo. Devido a essas e outras condições, o porcelanato tem alta durabilidade e simples manutenção.

O porcelanato se caracteriza também pela uniformidade de tom. Característica que o faz ser classificado entre os mais sofisticados materiais no ramo de construção. Graças ainda ao acabamento reto de suas bordas, o espaço para aplicar o rejunte é menor que o comum. Condição que favorece ainda mais sua elegância.

Acompanhe agora os modelos mais comuns no mercado e escolha o ideal para o seu projeto!

1. Esmaltado

Como o nome sugere, o porcelanato esmaltado recebe em sua superfície uma camada de esmalte, o que contribui ao acabamento brilhante e a impermeabilização do piso. O acabamento deste modelo pode ser brilhante, áspero ou liso. Dependendo de sua classificação de resistência (PEI), o porcelanato pode ser indicado para áreas como paredes ou áreas externas. Para saber qual escolher, saiba que quanto maior for o PEI, que vai de 0 a 5, maior é a sua resistência. Ambientes comerciais e industriais com alto tráfego, por exemplo, devem usar o piso de porcelanato esmaltado de PEI 5.

2. Acetinado

Ideal para quem busca um acabamento sem brilho. Devido a essa condição, a sua superfície ganha efeito antiderrapante. Além de menos cansativo aos olhos, pela ausência de brilho, esse modelo pode ser usado dentro de banheiros. Isso porque ele não mancha mesmo em contato com produtos usados nesse ambiente e possui superfície mais áspera.

3. Polido

Os amantes de acabamento brilhante costumam aderir a esta opção pela sua característica de brilho intenso. Este é um dos mais desejados entre os porcelanatos graças ao polimento mecânico e a camada protetora que recebe. Por conta dessa propriedade, os riscos a manchas e quedas aumentam, pois a sua superfície é bem lisa. O tipo polido está incluído em uma das classificações do porcelanato técnico.

4. Natural

Este modelo, ao contrário dos demais, não recebe polimento, por outro lado, ganha tratamento acetinado. Por isso, a sua superfície é menos lisa e não tem brilho. O porcelanato natural é indicado em áreas externas e ganha certa condição antiderrapante. O seu material é resistente e de fácil limpeza, em contrapartida acumula mais poeira. O piso está incluído em uma das classificações do porcelanato técnico, assim como o polido, citado anteriormente.

Como cortar porcelanato com precisão

De nada vale ter um produto produzido com alta tecnologia e não cortá-lo da maneira correta. Por isso, o manejo adequado do porcelanato garante sua característica predominante: o aspecto elegante.

Para que você entenda como cortar porcelanato, é simples. Primeiro é importante esclarecer que essa tarefa deve ser feita por um profissional. A mão de obra especializada te dará certeza de um trabalho bem feito e seguro. Sempre com uso de todos os equipamentos adequados e EPI’s.

Falando em equipamentos, para obter um corte reto em uma peça de porcelanato você pode contar com alguns equipamentos, entre eles estão o cortador manual, o cortador elétrico e a serra bloco de mesa, que você encontra aqui na Degraus.

A serra bloco de mesa exige menos esforço que o comum, permitindo o corte a seco ou refrigerado. Além de compacta e portátil, essa máquina elétrica é versátil, pois se ajusta a diversos materiais.

Encontre dois modelos de serra bloco de mesa em nosso site e entre em contato para obter seu orçamento. Caso você seja um pedreiro iniciante ou uma pessoa curiosa e queira aprender a como assentar piso, veja este e mais conteúdos em nosso blog, essenciais para as suas atividades. Oferecemos conhecimento acessível e bem feito, tudo na palma de suas mãos!

https://degraus.com.br/o-que-e-principais-tipos-e-como-cortar-porcelanato/ 4 Passos De Como Fazer Orçamento De Obra 4-passos-de-como-fazer-orçamento-de-obra

Vai começar a construir? Se a resposta for sim, saiba que um bom planejamento dos gastos é primordial para que não haja problemas durante o processo. Portanto, se ainda tiver dúvida sobre o que vai gastar, neste artigo selecionamos as melhores dicas de como fazer orçamento de obra. Veja o que preparamos e não passe por apuros!

 

Passo a passo de como fazer orçamento de obra 

 

O orçamento de obra é feito para determinar os gastos que serão necessários para a execução de um projeto, desde a sua concepção, até a assistência técnica após a entrega do empreendimento — mediante um plano previamente estabelecido. Veja agora o passo a passo para ter sucesso no seu: 

 

1. Quantifique todos os serviços 

 

O primeiro passo para um bom orçamento de obra, é fazer o levantamento das quantidades dos serviços que serão realizados. Em determinados casos, essa quantificação já é fornecida pelos projetistas, em outros casos não.  Portanto, é importante verificar se todas as atividades necessárias para a obra estão devidamente quantificadas — etapa fundamental nesse processo.

 

Esse levantamento é responsável por englobar todos os serviços necessários para a execução da obra — desde a aplicação da fundação, às plantas que serão cultivadas no jardim da edificação. Portanto, não deixe nenhum detalhe passar despercebido.

 

2. Estruture o orçamento 

 

O próximo passo é um dos mais importantes, pois, é de extrema relevância estruturar bem o orçamento de acordo com os serviços que serão executados — de preferência em etapas, para que facilite a mensuração de todos os gastos. 

 

Também é importante ressaltar que, cada obra é um caso específico, e têm gastos muito particulares. Portanto, não existe um padrão dos custos que serão necessários para executá-la. Dessa forma, planejar um bom orçamento, é essencial para o desenvolvimento de um bom cronograma — o que facilitará no andamento da obra como um todo.

 

3. Estabeleça quais serão os custos indiretos 

 

Como você pôde perceber, até agora todos os custos foram estabelecidos com base na execução de cada serviço. Porém, existem outros gastos envolvidos em uma obra que não podem ser quantificados como custos diretos.  Para esses outros tipos de despesas, damos o nome de custos indiretos, que também devem ser considerados quando falamos de como fazer orçamento de obra.

 

Cada construção possui seus consumos indiretos e específicos — que podem variar em relação às condições impostas pelo construtor, a segurança exigida na construção, a localização da obra e o prazo da sua execução. São exemplos de custos indiretos os gastos com água, energia elétrica, telefone, internet, materiais de escritório, combustível, máquinas, aluguel, alimentação e entre outras despesas que estão envolvidas em uma obra.

 

4. Faça uma planilha com todos os custos 

 

Para que nada fuja do seu controle, é necessário manter uma boa organização. Desse modo, o próximo passo de como fazer orçamento de obra, é montar uma planilha com todas as informações colhidas até agora.  De maneira resumida, nesse documento irá conter todos os descritivos sobre os serviços que serão prestados — quantidades, materiais, preços, mão de obra e entre outros dados inerentes à construção.

 

Tudo certo até agora? 

 

Com essas informações, é possível executar um bom orçamento de obra sem grandes problemas. Aproveite e continue acompanhado o nosso blog, e tenha acesso a mais conteúdos como este! 

 

https://degraus.com.br/4-passos-de-como-fazer-orcamento-de-obra/

Receba dicas e novidades

Siga a Loxam Degraus